Direito à educação e direitos na educação em perspectiva interdisciplinar

Esta publicação da Cátedra UNESCO de Direito à Educação, apresenta uma abordagem jurídica e interdisciplinar, de grande qualidade técnica, fundada em larga experiência prática de especialistas de várias áreas do direito. Assim, aprofunda a compreensão do direito humano à educação à luz do sistema legal brasileiro, revelando-se como uma ferramenta que poderá ajudar a compreender melhor os mecanismos e a responsabilidade de cada um no âmbito do sistema, o que permitirá a construção de caminhos para a concretização resultados eficazes na área do direito à educação de qualidade e inclusiva para todos.
Download gratuito:

contato: grupoeditorial@unesco.org.br

 

 

Estratégia de Captação de Recursos e Sustentabilidade.

21 de julho,  04 e 18 de agosto 

Profa. Me. Mariana Várzea 

O curso apresentará conceitos e ferramentas de gestão cultural com vistas a contribuir para a efetividade do planejamento estratégico e a criação de um plano de sustentabilidade para o projeto e/ou instituição, por meio da apresentação de cardápio segmentado de opções de financiamento no mercado, estudos de casos de viabilidade econômica, ferramentas de planejamento e gestão de receitas diretas.

Carga horária: 16h

Valor: R$ 670,00

Parcelado em até 2x no cartão.

Inscrições pelo email: pecs@candidomendes.edu.br ou no telefone (21) 3543-6489

A Institucionalização dos Museus

21 de julho e 04 de agosto 

Prof. Dra. Maria de Lourdes Horta

O curso tem como objetivo profundar nos gestores de museus e instituições afins a compreensão e o conhecimento das estruturas que regulam o exercício da profissão de museólogo, a atividade dos museus, e dos Códigos de Ética, nacional e internacional, assumidos pelo ICOM- BR, o ICOM – UNESCO e pelos Conselhos Federal e Regional de Museologia. Ressaltará a importância do respeito às normas e diretrizes determinadas por estes organismos, às Convenções e Recomendações assinadas pelos países membros da UNESCO, e o conhecimento dos conteúdos das Declarações difundidas após a realização de Conferências e Reuniões específicas, que ditam as diretrizes e transformações a serem buscadas pelas instituições museológicas.

Carga horária: 8h

Valor: R$ 340,00

Parcelado em até 2x no cartão.

Inscrições pelo email: pecs@candidomendes.edu.br ou no telefone (21) 3543-6489

Ministério da Cultura lança edital para cultura popular

POR FERNANDA PONTES

O Ministério da Cultura vai premiar quem faz cultura popular no Brasil. Serão R$ 10 milhões, o maior valor da história, segundo o MinC, para 500 atividades como pintura, música e poesia. O edital do “Prêmio Culturas Populares” prevê premiação (de R$ 20 mil) para artesãos e coletivos reconhecidos em suas comunidades. Na edição passada, uma das escolhidas foi Anaíde Muniz, a Dona Tuca, moradora da Cidade de Deus que pinta quadros, compõe músicas e canta mesmo aos 77 anos de idade. O edital será lançado na próxima sexta-feira, e as inscrições começam no dia 30.

Fonte

 

Curso: Proteção Jurídica do Patrimônio Cultural

Preparação para o concurso Iphan 2018

Serão analisados os fundamentos da preservação do patrimônio cultural e os principais instrumentos jurídicos que são de competência do IPHAN. O conteúdo é focado na legislação específica de patrimônio e contempla a parte de conhecimentos básicos que é obrigatória para todos os cargos previstos no edital do concurso do IPHAN 2018.

 

Datas: 07 a 23 de agosto, 3ª e 5ª feiras, de 17h às 19h

 

Inscrições abertas

pecs@candidomendes.edu.br

(21) 3543-6489

Investimento: R$ 350,00

 

Ementa:

Em seis aulas presenciais, serão analisados os fundamentos da preservação do patrimônio cultural e os principais instrumentos jurídicos que são de competência do IPHAN.

O conteúdo das aulas é focado na legislação específica de patrimônio, contemplando, assim, a parte de conhecimentos básicos que é obrigatória para todos os cargos previstos no edital do concurso do IPHAN 2018.

 

Metodologia:

Aula expositiva, com resolução de questões e tira-dúvidas.

 

Datas:

07 de agosto

09 de agosto

14 de agosto

16 de agosto

21 de agosto

23 de agosto

 

 

Prof. Dr. Mário Pragmácio

Especialista em patrimônio cultural

Advogado, Doutor em Teoria do Estado e Direito Constitucional pela PUC-RIO. Mestre em Museologia e Patrimônio pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro – UNIRIO e especialista em patrimônio cultural pelo Programa de Especialização em Patrimônio – PEP/IPHAN (Atualmente Mestrado Profissional).

Políticas Públicas Para Museus

21 de Julho e 18 de agosto

Profa. Me. Vera Mangas

O curso apresentará a trajetória dos museus no Brasil e as políticas, apresentando e discutindo a missão e os objetivos estratégicos das instituições de guarda, preservação e comunicação de acervos e as políticas públicas empreendidas pelo Estado no sentido de estabelecer parâmetros para o setor. Debaterá também sobre os instrumentos de políticas públicas para o campo de museus: o Plano Nacional de Cultura, o Plano Nacional Setorial de Museus, o Cadastro Nacional de Museus, o Sistema Nacional e Museus e o Estatuto dos Museus. Falará ainda do papel do Ibram como autarquia federal responsável pelas políticas públicas do campo de museus.

Carga horária: 8h

Valor: R$340,00

Parcelado em até 2x no cartão.

Inscrições pelo email: pecs@candidomendes.edu.br ou no telefone (21) 3543-6489

Desenvolvimento de Públicos

18 de agosto e 01 e 15 de setembro

 Profa. Dra. Rosane Carvalho

O curso discutirá o museu como sistema de informação e comunicação, as formas a serem feitas a transferência da informação para o público e o uso de pesquisas demográficas (demanda – estudo de hábitos e atitudes, estudos de consumo domiciliar) e pesquisas de público (avaliação de exposições, hábitos culturais). Tratará de programas destinados para públicos específicos como crianças, famílias, adolescentes, terceira idade, e também de estratégias de acessibilidade e feedback – manifestações dos visitantes (post-its físicos e virtuais, vídeos, entrevistas, etc) -, além do estudos de casos inovadores.

 

Carga horária: 12h
Valor: R$ 490,00

 

Possibilidade de parcelamento em 2x no cartão

Inscrições pelo email: pecs@candidomendes.edu.br ou no telefone (21) 3543-6489

Vendas na SP-Arte apontam retomada e trazem otimismo ao setor

POR O GLOBO 

SÃO PAULO — Após anos seguidos de crise econômica e política, o mercado de arte dá mostras de recuperação, ainda que de forma lenta. Esta é a avaliação de galeristas e expositores presentes à 14ª edição da SP-Arte, maior feira do segmento da América Latina, encerrada ontem no Pavilhão da Bienal, em São Paulo. Para muitos negociantes, o preview (a abertura para convidados, que atrai os principais colecionadores e representantes de instituições) foi celebrado como o melhor dos últimos anos. A estimativa é que público total (contando com a visitação de domingo) fique em cerca de 33 mil pessoas, superior às 30 mil de 2017. A torcida é para que a tendência se consolide e o mercado ganhe tônus para que as vendas se mantenham ao longo do ano, fortalecendo eventos similares, como a ArtRio, em setembro.

— A SP-Arte funciona como um termômetro para o resto do ano, neste sentido a previsão é positiva. Vendemos 80% dos artistas que trouxemos logo no início da feira — atesta Nara Roesler, dona de galerias em São Paulo, Rio e Nova York, e de um dos estandes mais movimentados do evento. — Não posso reclamar dos últimos anos, temos uma clientela consolidada que, felizmente, fez com que não sentíssemos queda de vendas. Ainda assim, o primeiro trimestre de 2018 já foi melhor que os três primeiros meses do ano passado.

Sócia da Fortes D’Aloia e Gabriel (São Paulo) e Carpintaria (Rio), Marcia Fortes achou o ritmo das vendas em 2018 mais rápido do que nos anos anteriores. Para a galerista, em momentos mais difíceis, a arte acaba oferecendo uma transcendência para fugir da realidade do país. A roda-viva dos problemas nacionais afetou a própria galeria às vésperas da feira: assim como Nara Roesler, Marcia se surpreendeu com a alteração na cobrança da taxa de armazenagem de obras de arte trazidas temporariamente ao Brasil, por concessionárias de aeroportos como Guarulhos (SP), Galeão (RJ) e Viracopos (Campinas-SP), que passou a ser feita pelo valor declarado das obras e não mais pelo peso. Por conta disso, a galerista deixou de trazer para seu estande obras de artistas como Beatriz Milhazes e Janaina Tschäpe.

— Não poderia correr este risco, nossas margens já são muito justas. É mais uma coisa que só acontece no Brasil. É como se o dono do estacionamento resolvesse cobrar pela marca de cada carro e não pela vaga que ele ocupa — compara Marcia. — Gostaria de ter contado com estas obras aqui, os resultados poderiam ser ainda mais positivos.

Presente à feira desde 2012, a britânica White Cube, que mantém espaços em Londres e Hong Kong, trouxe obras de nomes como os ingleses Damien Hirst e Antony Gormley. Apesar de ter fechado sua filial em São Paulo, em 2015, após três anos de funcionamento, a galeria segue apostando no Brasil.

— O mercado brasileiro continua forte, ainda que tenha passado por mudanças. A resposta do público e dos compradores é sempre positiva ao que expomos aqui — ressalta o diretor Peter Brandt.

Uma das atrações da feira, a escultura de bicicletas do chinês Ai Weiwei fez da alemã Neugerriemschneider um dos estandes mais fotografados do Pavilhão. Para Burkhard Riemschneider, sócio da galeria, o Brasil mantém sua importância regional na América do Sul.

— Temos uma relação de mais dez anos com o Brasil, sabemos que o mercado tem altos e baixos, mas esperamos que os bons momentos superem os ruins — torce ele. — Optamos por uma apresentação clean, com o Ai Weiwei no centro, e obras de artistas como Olafur Eliasson ao redor. Isso pode ter ajudado a atrair as atenções.

Para a diretora da SP-Arte, Fernanda Feitosa, o importante neste momento é manter a regularidade e o tamanho do evento para que a confiança de marchands e colecionadores não seja abalada.

— Os anos de 2015 e 2016 foram nossos pontos mais baixos. Ano passado já se ensaiava uma recuperação, e este ano foi possível notar um grau mais expressivo de otimismo. A qualidade das obras também foi bastante elogiada, o que ajuda. — observa Fernanda. — Claro que galeristas estrangeiros ligam para saber da realidade brasileira, principalmente após acontecimentos como o impeachment da Dilma ou a prisão do Lula. Mas todos demonstram bastante confiança no país.

A diretora da SP-Arte aponta, como outro fator de retomada, as galerias estreantes na feira: são 16 no total, contando brasileiras e estrangeiras. Entre elas, estava a russa Fragment, que também fazia a estreia do país na SP-Arte, na área Solo, com estande dedicado ao artista moscovita Ilya Fedotov-Fedorov.

— Brasil e Rússia têm muito em comum, são países continentais, com barreiras criadas pelo idioma. Nossa ideia é abrir esta porta para um novo mercado, queremos estabelecer uma longa relação — destaca Alexander Schurenkov, sócio da galeria. — Vemos grandes possibilidades aqui, é um mercado jovem, com boa abertura para a arte contemporânea. Dependendo das relações que estamos estabelecendo, pensamos em voltar ano que vem.

“Depressão dos colecionadores”

O mercado secundário (voltado à revenda de obras de arte) também comemorava os negócios na feira. Para Max Perlingeiro, dono da Pinakotheke, com sedes no Rio, São Paulo e Fortaleza, o setor está mais maduro, após os anos de euforia que antecederam a crise:

— O mercado secundário tem um binômio: preço e qualidade. Se tiver os dois, você vende. Só não dá mais para pensar nos preços de cinco, seis anos atrás — comenta Perlingeiro. — O que houve nos últimos anos foi uma profunda depressão dos colecionadores. Alguém sai de casa deprimido para comprar algo? Muito menos se for um artigo como arte. Nesse sentido, as feiras são uma provocação a mais ao desejo dos colecionadores. São aqueles dois dias que eles deixam de resolver problemas no escritório e podem dedicar tempo à sua paixão.

 

 

20º Festival da Canção de Andradas

O Festival da Canção de Andradas é um convite aberto a músicos de todo o Brasil e tem como objetivo manter um espaço para a “Música Brasileira de qualidade”, valorizando músicos, compositores e intérpretes.

Idealizado pelos irmãos David e Gilmar França, o Festival da Canção de Andradas é um evento consagrado pelo público por promover importantes intercâmbios culturais voltados à música brasileira e ao fomento da cadeia cultural produtiva. O Festival acontece há quase duas décadas em Andradas, no Sul de Minas Gerais, e foi criado a partir da carência de atividades culturais no município e da necessidade de fortalecer a cena musical sul mineira e regional, possibilitando a descoberta de novos talentos.

Sua principal missão é contribuir para a projeção de compositores, assim como de músicos, instrumentistas e intérpretes. O espetáculo tem o compromisso primordial divulgar grupos musicais e artistas brasileiros, oferecendo ao público um programa gratuito e relevante no cenário nacional. Celebrando em 2017 dezenove anos de sucesso em seus encontros musicais, o Festival da Canção de Andradas é considerado um dos maiores do país e o segundo maior valor em premiações de Minas Gerais, contando com a participação de músicos e compositores de todo o país.

O prazo para as inscrições se inicia dia 14 de março e termina dia 27 de abril.

As inscrições serão realizadas através do site www.festivaldacancaodeandradas.com.br no campo destinado para “Inscrição Online”. O participante deverá especificar quantas músicas deseja inscrever e em seguida escolher a forma de pagamento da taxa de inscrição que preferir – PayPalPagSeguro ou depósito/transferência bancária.

 

Fonte e mais informações

 

Edital de ocupação dos teatros do estado

 

A Secretaria de Estado de Cultura e a Fundação Anita Mantuano de Artes – FUNARJ torna pública a presente Chamada para seleção da programação regular dos seguintes Teatros da Rede Estadual: Teatro Glaucio Gill (Copacabana), Teatro da Casa de Cultura Laura Alvim(Ipanema), Espaço Rogério Cardoso – Porão Laura Alvim (Ipanema), Teatro Arthur Azevedo (Campo Grande) e Teatro Armando Gonzaga (Marechal Hermes), estabelecendo critérios para ocupação no segundo semestre de 2018.

Especificações de disponibilidade dos teatros da rede estadual:

 

  • Teatro Laura Alvim (Capacidade: 186 lugares + 04 cadeirantes)
    – Horário nobre: sexta e sábado 20h e domingo 19h
    Temporada de 04 (quatro) semanas – 12 apresentações
    Período de 17 de agosto a 02 de dezembro de 2018;
    – Horário infantil: Sábado e domingo 16h
    Temporada de 04 (quatro) semanas – 8 apresentações
    Período de 18 de agosto a 02 de dezembro de 2018;

 

  • Espaço Rogério Cardoso (Porão) (Capacidade: 53 lugares)
    – Horário nobre: sexta e sábado 19h e domingo 18h
    Temporada de 04 (quatro) semanas – 12 apresentações
    Período de 17 de agosto a 02 de dezembro de 2018;

 

  • Teatro Glaucio Gill (Capacidade: 101 a 150 lugares – vide Item 1.6)
    – Horário nobre: Sexta e Sábado 21h, domingo e segunda 20h
    Temporada de 4 (quatro) semanas – 16 apresentações
    Período de 17 de agosto a 03 de dezembro de 2018;
    – Horário infantil: Sábado e domingo 17h
    Temporada de 4 (quatro) semanas – 8 apresentações
    Período de 18 de agosto a 02 de dezembro de 2018;

 

  • Teatro Armando Gonzaga (200 lugares)
    – Horário nobre: sexta e sábado 20h, domingo 19h
    Temporada de 2 (duas) semanas – 6 apresentações
    Período de 17 de agosto a 02 de dezembro de 2018;
    – Horário infantil: sábado e domingo 16h
    Temporada de 2 (duas) semanas – 4 apresentações
    Período de 18 de agosto a 02 de dezembro de 2018;
    Quintas musicais: Quinta-feira 21h
    Shows musicais com no mínimo duas apresentações

 

  • Teatro Artur Azevedo – 261 lugares
    – Horário nobre: sexta e sábado 20h, domingo 19h
    Temporada de 2 (duas) semanas – 6 apresentações
    Período de 17 de agosto a 02 de dezembro de 2018;
    – Horário infantil: sábado e domingo 16h
    Temporada de 2 (duas) semanas – 4 apresentações
    Período de 18 de agosto a 02 de dezembro de 2018;
    Quintas musicais: Quinta-feira 21h
    Shows musicais com no mínimo duas apresentações

 

Regulamento
Cronograma
Fonte e mais informações