Jornal denuncia ‘mamata’ da secretaria de Cultura

Fonte: Terra

Evento de tecnologia com o ministro Marcos Pontes, do atual governo, recebeu autorização para captar R$ 2,7 milhões via Lei Rouanet

Mario Frias tem passado os últimos dias atacando artistas consagrados nas rede sociais, enquanto seu subalterno, André Porciuncula, tenta criar repercussão com prévias de um projeto para “acabar a mamata” da Lei Rouanet.

Dizer que “acabou a mamata” é um mantra bolsonarista para sugerir que artistas de esquerda eram privilegiados com aprovação de incentivos culturais nos governos anteriores. Entretanto, a atual administração da secretaria virou alvo de denúncia justamente por, como diriam os bolsonaristas, incentivar ‘mamatas’ de grupos ligados ao poder.

Nessa quarta, 12, o jornal Folha de S. Paulo revelou que um evento de tecnologia e empreendorismo com participação do ministro Marcos Pontes, do atual governo, recebeu autorização da secretaria de Cultura para captar R$ 2,7 milhões via Lei Rouanet. Detalhe: o evento não é cultural e não cumpre obrigações previstas pela lei.

Chamado de Rio Innovation Week, o evento terá entre os palestrantes Richard Branson, presidente da Virgin, Steve Wozniak, cofundador da Apple, e políticos brasileiros de direita, como Pontes e o prefeito do Rio, Eduardo Paes. Trata-se de um encontro de negócios, que foi enquadrado na Rouanet como sendo de Artes Visuais.

Os ingressos custarão R$ 490 e não há meia-entrada – apenas clientes Ourocard terão direito a um desconto de 50%. Entretanto, a instrução normativa que rege a Rouanet estabelece que metade dos ingressos deve ser comercializada a preço de meia-entrada e que o preço médio do ingresso deve ser limitado a R$ 225. A norma exige ainda que pelo menos 10% dos ingressos sejam vendidos a um preço que não ultrapasse o vale-cultura, que é de R$ 50.

No ano passado, Frias anunciou exultante ter reprovado um projeto do Instituto Vladimir Herzog porque não era cultural. O instituto cuida da memória de um jornalista torturado e assassinado pela ditadura militar brasileira.

Ele também rejeitou o projeto do Festival de Jazz do Capão, na Bahia, justificando o parecer negativo por uma postagem no Facebook em que o evento se declarou um festival antifascista e pela democracia. Por conta disso, a secretaria afirmou que o festival de música não seria cultural, mas político.

Em seu site, o Rio Innovation Week deixa claro que seu foco é o empreendedorismo, com palestras de empresários e investidores famosos. A secretaria de Frias qualificou a programação como um evento audiovisual.

A Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos, a Apex-Brasil, também patrocina o evento. Sob o governo Bolsonaro, a instituição deixou de apoiar o cinema brasileiro em festivais internacionais.

O caso atual acontece um mês após uma denúncia sobre uso indevido de verbas públicas pela secretaria. Há um mês, o jornal O Globo revelou que Frias contratou sem licitação, por R$ 3,6 milhões, uma empresa sem funcionários e sediada em uma caixa postal dentro de um escritório virtual.

Segundo apuração do jornal, Frias contratou a empresa “fantasma” para conservação e manutenção do Centro Técnico Audiovisual (CTAv), um edifício da União que reúne relíquias do cinema nacional em Benfica, na zona norte da cidade do Rio de Janeiro.

O incêndio da Cinemateca mal tinha sido contido quando o próprio CTAv decidiu encomendar um estudo técnico sobre as condições de sua estrutura em agosto passado, revelando que o local também corria risco de incêndio e até desabamento. Num dos trechos, o documento ressaltava o “desaprumo de telhas na fachada frontal”, que poderia cair a qualquer momento.

Em novembro, Frias assinou a contratação da Construtora Imperial, por meio de uma portaria de dispensa de licitação, para resolver o problema.

Contratada pela bagatela de R$ 3,6 milhões, a empresa tem sede na Paraíba, ou seja, a 2.400 km do Rio de Janeiro, onde o trabalho será realizado. Seu endereço é um escritório virtual especializado em fazer “gestão de correspondências” para dezenas de firmas.

A Construtora Imperial nunca prestou serviços para o governo federal, não tem um site ou qualquer meio eletrônico que detalhe os serviços que ela presta. E, de acordo com a base de dados do Ministério da Economia, não possuiu funcionários.

Mais curioso ainda: a empreiteira virtual pertence a Danielle Nunes de Araújo, que, no início do ano passado, se inscreveu no programa de auxílio emergencial do governo e recebeu o benefício disponível para desempregados por oito meses seguidos – R$ 3,9 mil no total.

A reportagem apurou que a necessidade era real. Entre parentes e pessoas próximas, Danielle não é conhecida como empresária do ramo da construção, mas sim como dona de casa de perfil discreto e que recentemente estava passando por dificuldades financeiras.

Procurada pela reportagem de O Globo, ela disse não saber sequer os detalhes da obra que faria para a Secretaria Especial da Cultura. Disse apenas que era para “demolir e reconstruir um prédio lá no Rio”. O edital de contratação da Secretaria Especial de Cultura, no entanto, não trata de qualquer “demolição” do prédio.

Criado em 1985 a partir de uma parceria entre a antiga Embrafilme e o National Film Board, do Canadá, o CTAv é responsável por um acervo com mais de seis mil títulos. O órgão também fornece apoio à produção cinematográfica nacional por meio de empréstimos de equipamentos e estúdios, a custo zero. Cineastas como Sérgio Sanz (1941-2019) e Gustavo Dahl (1938 – 2011) já passaram pela direção da instituição.

Os bens históricos incluem 15 mil latas de filme, 20 mil negativos fotográficos e cerca de 1,5 mil cartazes. Entre as relíquias, há parte da coleção do diretor pioneiro Humberto Mauro (1897-1993) e películas originais de “Limite” (1931), obra-prima de Mário Peixoto, além de “O que foi o carnaval de 1920” (1920), de Alberto Botelho.

Em vez de se justificar, Frias tem usado seu palanque virtual para fazer barulho e desviar a atenção.

Dizendo que artistas indignados com a desfaçatez do governo estão furiosos porque acabou a mamata, ele tenta fazer com que acreditem em mais uma fake news (mentira grosseira) do governo atual.

PUBLICIDADE

Ao contrário do propalado “fim da mamata”, só no ano passado 22 projetos de mais de R$ 10 milhões foram aprovados pela secretaria especial de Cultura. Juntos, estes 22 projetos consumiram R$ 533 milhões do orçamento disponível.

Além disso, 242 projetos de mais de R$ 1 milhão receberam aval da gestão de Mario Frias, comprometendo R$ 1,3 bilhão da Rouanet. É mais da metade do total aprovado para a lei em 2021. O número também representa concentração de dinheiro em menos projetos culturais. Uma turma ganhou prioridade, com mais dinheiro gasto num menor número de projetos da lei de incentivo. Os dados são públicos e podem ser conferidos na Salic (Sistema de Apoio às Leis de Incentivo à Cultura).

Museu Afro Brasil recebe mostra em comemoração ao aniversário de São Paulo

Fonte: Folha de São Paulo

O Museu Afro Brasil vai receber a exposição “Arqueologia Amorosa de São Paulo”, em comemoração aos 468 anos da capital paulista. Com curadoria de Emanoel Araújo, a mostra vai reunir objetos, fotografias e documentos para montar uma arqueologia da memória da cidade.

viaduto Santa Ifigênia
Fotografia de German Lorca do viaduto Santa Ifigênia, no centro de São Paulo, em 1952, estará exposta na exposição ‘Arqueologia Amorosa de São Paulo’, no Museu Afro Brasil – João Liberato/Divulgação

A partir de 15 de janeiro, data que marca o aniversário de São Paulo, visitantes poderão ver desde objetos da Revolução Constitucionalista de 1932 até manuscritos e obras de Lina Bo BardiPaulo Mendes da Rocha e Flávio de Carvalho, entre outros.

As cantoras Illy e Marina Sena – Maria Mango/Divulgação

As cantoras Illy e Marina Sena lançarão nesta sexta-feira (14) o single “Quente e Colorido”. A faixa também ganhará um videoclipe rodado na Bahia e dirigido por Dauto Galli. A canção integra o terceiro álbum de estúdio da baiana Illy, “O Que Me Cabe”, com previsão de lançamento para fevereiro. Produzida por Iuri Rio Branco e composta pela mineira Marina Sena, a faixa contará com referências musicais do pop e do reggae.

JOELMIR TAVARES (interino), com LÍGIA MESQUITA, BIANKA VIEIRA e MANOELLA SMITH

IBM adquire Envizi para demarcar território na área de sustentabilidade ambiental

Fonte: TI Inside

A IBM anunciou que adquiriu a Envizi, fornecedora de dados e softwares para gerenciamento de desempenho ambiental. Essa aquisição se soma aos investimentos da IBM em software impulsionado pela IA, incluindo soluções de gerenciamento de ativos IBM Maximo, as soluções da cadeia de suprimentos de IBM Sterling e o IBM Environmental Intelligence Suite, para ajudar organizações a criar operações e cadeias de suprimentos mais resilientes e sustentáveis. Essa aquisição foi fechada em 11 de janeiro de 2022. Os detalhes financeiros não foram divulgados.

 

As empresas estão sob a pressão crescente de reguladores, investidores e consumidores para avançar em direção a operações de negócios mais sustentáveis e socialmente responsáveis – e para demonstrar essas medidas de uma forma robusta e verificável. De fato, a responsabilidade social corporativa e os riscos de sustentabilidade ambiental empatam como a terceira maior preocupação para as organizações, conforme classificação feita por grandes corporações em reporte da Forrester. No entanto, os vários tipos de dados das iniciativas de sustentabilidade que as empresas precisam entender e informar permanecem altamente fragmentados e é difícil para todas as partes relevantes acessá-los.

O software da Envizi automatiza a coleta e a consolidação de mais de 500 tipos de dados e apoia os principais quadros de relatórios de sustentabilidade. Seus dashboards simples e amigáveis customizados permitem que as empresas analisem, gerenciem e reportem seus objetivos ambientais, identifiquem oportunidades de eficiência e avaliem o risco de sustentabilidade. As soluções da Envizi ajudam a simplificar o gerenciamento dessas tarefas como parte das iniciativas de relatórios mais amplos de Meio Ambiente, Social e de Governança (ESG), ao mesmo tempo em que fornece aos usuários insights valiosos de sustentabilidade para informar a estratégia de negócios.

Ao utilizar o Envizi com o software da IBM impulsionado por IA, as empresas agora poderão automatizar o feedback gerado entre suas iniciativas ambientais corporativas e os endpoints operacionais sendo usados nas operações diárias de negócios, um passo crucial para tornar os esforços de sustentabilidade mais escaláveis. Por exemplo, a Envizi se integrará com:

• As soluções de IBM Maximo Asset Management, que ajudam empresas a ampliarem a vida útil de seus ativos críticos, reduzir o impacto ambiental ao fornecer gerenciamento inteligente de ativos, monitoramento, manutenção preditiva e confiabilidade em uma única plataforma.

• As soluções de cadeia de suprimento de IBM Sterling, que ajudam as empresas a ganhar visibilidade da cadeia de suprimentos, cortar o desperdício pelo inventário, reduzir a pegada de carbono do embarque e da logística e garantir a aquisição responsável com tecnologia baseada em blockchain para rastreabilidade.

• O IBM Environmental Intelligence Suite (EIS), que ajuda empresas a aumentarem a resiliência ao avaliar e planejar o impacto das condições ambientais em suas operações, ativos e cadeias de suprimentos. O EIS usa tecnologia avançada de IA e meteorológica da IBM, a provedora de previsão mais precisa globalmente.

• As capacidades de IBM Turbonomic e Red Hat OpenShift, que ajudam empresas a automatizarem a tomada de decisão ao considerar onde executar cargas de trabalho corporativas com base na otimização de desempenho, custo e emissões de Gases de Efeito Estufa (GEE).

A Envizi também ajudará a expandir a crescente atuação de IBM Consulting em sustentabilidade, elaborada para ajudar os clientes a acelerar o progresso em direção aos seus compromissos de sustentabilidade.

Disponível como solução SaaS e sendo executada em ambientes multicloud, a Envizi atende marcas líderes como Microsoft, Qantas, CBRE, Uber, abrdn e Celestica, e seus softwares podem ser aplicados em atividades de várias indústrias.

Além de seus investimentos contínuos em fornecer aos clientes software de IA mais abrangente para ajudá-los a acelerar suas iniciativas de sustentabilidade e a apoiar suas metas ambientais, a IBM também está usando seu software para melhorar suas próprias eficiências operacionais, gerenciar o consumo de energia e conduzir a redução de emissões de GEE. Essas atividades apoiam o compromisso da IBM de atingir zero emissão líquida de GEE até 2030.

UNIUM: Neutralidade de carbono e sustentabilidade são objetivos possíveis na cadeia industrial do leite

Fonte: Paraná Cooperativo

É possível ser mais sustentável na indústria alimentícia brasileira? Os especialistas no assunto asseguram que sim. Durante o workshop “Neutralidade do carbono e sustentabilidade no setor lácteo”, promovido pela Associação Brasileira de Lácteos (Viva Lácteos), em dezembro, as principais empresas do setor de laticínios abordaram temas como neutralidade de carbono e sustentabilidade e trouxeram medidas já adotadas para diminuir o impacto ambiental da indústria.

Convite – A Unium, marca institucional das cooperativas Frísia, Castrolanda e Capal, foi uma das convidadas para ministrar palestras, representada pelo coordenador ambiental da cooperativa Frísia, Francis Bavoso. “A sociedade e os futuros consumidores do produto sempre estão buscando mais informações sobre os produtos comprados/consumidos e a rastreabilidade e responsabilidade da cadeia, sendo assim, o setor já de forma voluntária discutiu quais são os principais gargalos na emissão de CO² e quais são as ações que estão sendo realizadas para minimizar e neutralizar essa emissão de carbono. Plantio direto, gestão do consumo de água, gestão do dejeto e redução do uso de fertilizantes químicos, rotação de cultura, melhoramento genético, maior eficiência na conversão alimentar são apenas alguns exemplos do que temos adotado na Unium”, explica o coordenador ambiental.

Mercado – Segundo ele, o mercado está se desenhando para três escalas: Leite Pro Carbon, Leite Low Carbon e Leite Netzero. “Com isso, mostramos as principais ações sustentáveis que o grupo Unium realiza no campo, para buscar a maior eficiência em kg de leite produzido por CO² emitido”, acrescenta.

Sustentabilidade – Além de contar com sua indústria de lácteos no Paraná e em São Paulo, a Unium ainda possui atuação no mercado de farinha de trigo e na pecuária suína. Por isso, desenvolve com programas como a gestão de estrume e aplicações de tecnologia, que prevê uma redução de 14 milhões de CO²; o fomento de reflorestamento de mudas nativas em áreas de mais de 3 mil hectares e um programa de preservação, redução e uso consciente de recursos hídricos. “Carbono é nosso componente-chave em vários atributos do solo, como aumento da porosidade, melhor infiltração e retenção de água”, finaliza Francis Bavoso.

Sobre a Unium – Marca institucional das indústrias das cooperativas Frísia, Castrolanda e Capal, a Unium representa os projetos em que as cooperativas paranaenses atuam em parceria. Conta com três marcas de lácteos: Naturalle – com produtos livres de aditivos -, Colônia Holandesa e Colaso. No setor de grãos, a Unium tem a marca Herança Holandesa – farinha de trigo produzida em uma unidade totalmente adequada à ISO 22000, com elevados padrões de exigência. Além disso, fazem parte dos negócios a Alegra, indústria de alimentos derivados da carne suína, e a Energik, usina de produção de energia sustentável, todas reconhecidas pela qualidade e excelência. Mais informações: http://unium.coop.br/. (Imprensa Unium)

Aulas Abertas ABGC 2021

Inscreva-se para receber o link de acesso a uma playlist com as aulas abertas e webinários internacionais realizados nos cursos da ABGC em 2021!

    Instituição (opcional)

     

     

    Recesso de fim de ano ABGC

    Encerramos 2021 agradecendo aos parceiros, professores, alunos e associados da ABGC, por seguirem somando conosco nos cursos e projetos!

    Entramos em recesso entre os dias 20/12/2021 a 03/01/2022, mas continuaremos interagindo com vocês nas redes da ABGC.

    Dados e análise de indicadores culturais – Profa. Daniele Dantas e Prof. João Leiva

    Introdução à metodologia de pesquisas e instrumentos de análise.  Principais indicadores e resultados utilizados para avaliação de políticas e práticas culturais.

    Carga horária: 8h
    Dias das aulas síncrono: 22 de janeiro, 05 e 08 de fevereiro de 2022
    Horário da aula síncrona: 14h às 17h (sábado) / 18h30 às 20h30 (terça)
    Valor: 270 reais
    Inscreva-se:

      Modelos de negócios na era digital – Prof. Leonardo José

      Modelos de negócios na era digital – A cultura e suas oportunidades de negócios e desenvolvimento na era digital. Metodologias e ferramentas para o planejamento de negócios no setor. Prospecção de cenários e apresentação de casos nacionais e internacionais.
      Docente: Prof. Leonardo José
      Carga horária: 12h
      Dias das aulas síncronas: 22 de janeiro, 05 e 19 de fevereiro de 2022
      Horário da aula: 09h às 13h
      Valor: 380 reais
      Inscreva-se:

        Comunicação e consumo cultural – Prof. Eduardo Carvalho

        Comunicação e consumo cultural – Inovação em Museus e Equipamentos Culturais. Estratégias inovadoras nacionais e internacionais para a construção de marca e requalificação de espaços culturais.
        Docente: Prof. Eduardo Carvalho
        Carga horária: 8h
        Dias/horários das aulas no zoom: 19 de fevereiro (14h às 18h) e 12 de março de 2022 (9h às 13h)
        Valor: 270 reais
        Inscreva-se:

          Edital “EXPOMIS – cultura, educação e memória.”

          Via: Instagram MIS – Museu da Imagem e do Som

          O edital #expomis já foi lançado. Conheça mais sobre a proposta do edital e se prepare para a inscrição a partir do dia 17/12, sexta-feira, às 18h:
          .
          ✔️ Inscrição exclusivamente pela Internet através da plataforma Desenvolve Cultura. Os anexos estarão disponíveis no nosso endereço eletrônico em breve;

          ✔️ Somente serão aceitas inscrições de proponentes Pessoa Jurídica Privada com finalidade cultural em seu estatuto, que comprove existência formal e atuação na área de cultura há, pelo menos, 02 (dois) anos, e seja sediada no Estado do Rio de Janeiro, ou Microempreendedor Individual – MEI;

          ✔️Os projetos contemplados no prêmio da 🔸Categoria A (exposição a ser realizada no espaço mezanino do MIS) receberão o valor de R$50 mil cada projeto e na 🔹Categoria B (projeto itinerante pelo Estado do Rio de Janeiro) serão premiados com o valor de R$100 mil

          ✔️ Os projetos devem seguir os eixos temáticos:◽️Centenário da radio transmissão ou ◽️Exposição Internacional do Centenário da Independência.
          .
          Acesse o link abaixo e veja o edital completo.

          http://www.mis.rj.gov.br/edital-mis/