ESTRATÉGIAS DE MARKETING DIGITAL E SUAS APLICAÇÕES NA INDÚSTRIA CRIATIVA

ESTRATÉGIAS DE MARKETING DIGITAL E SUAS APLICAÇÕES NA INDÚSTRIA CRIATIVA

Data: 23/10 a 08/11 (terças e quintas)

Horário: 18h30 às 21h30

Carga horária: 15 horas

 

O curso tem como objetivo demonstrar as transformações no ambiente de marketing cultural, as plataformas e as tecnologias emergentes e as estratégias de marketing aplicáveis ao contexto da indústria criativa, compreendendo o papel relevante do marketing digital no ambiente da produção cultural. E ao final capacitar o aluno a elaborar um plano completo de marketing cultural.

 

Prof.  JONAS ABREU

Consultor de marketing. Especialista em Marketing Estratégico pela UCAM-Rio, Mestre em Bens culturais e Projetos Sociais, pela FGV-Rio. Coordenador de Turismo da FAETEC Ipanema. Professor de pós-graduação dos cursos MBA Marketing, Comunicação em mídias digitais e Consultoria Empresarial. Atua como professor de graduação em Marketing e Turismo. Pesquisador das áreas de Cultura, Mercado, Mídias e Cidades. Ocupou cargos de gerencia de marketing e promoção de vendas em empresas como: Varig, Shangri-lá e Marc Apoio. Atualmente é consultor do Sebrae e exerce a função de coordenador e professor vinculado a Secretaria de Estado de Ciência e Tecnologia. Palestrante e conferencista. Publicações: Tudo sobre Marketing Digital (Amazon, 2018); Tudo sobre Marketing turístico (Amazon, 2018); Como produzir eventos sem medo (Publit e Amazon, 2017); Rio de Janeiro: a batalha das identidades (Amazon, 2014)

Conteúdo Proposto
Unidade I – Teoria: Compreendendo os processos de Marketing na era digital

 

O composto de marketing e sua relação com a indústria criativa

O desenvolvimento do mix de marketing na produção cultural

O processo e a administração do esforço de marketing na área cultural

 

Unidade II – Técnica: Estratégias de Marketing digital nas empresas de produção cultural

 

Presença Digital, WhatsApp e E-mail-marketing, Mobile-marketing

SMM, SMO, SEM e SEO – táticas na redes sociais

Realidade virtual e aumentada

Modelos e categorias de negócios online

Vendas online e produção cultural: tecnologia e operações

 

Unidade III – Prática: Elaboração de Plano de Marketing Cultural 

Sumário Executivo – Visão geral, etapas e escolha do modelo de empresa

Etapa 1 – Tendências e Evidencias

Etapa 2 – Estudo do público-alvo

Etapa 3 – Análise da concorrência

Etapa 4 – Análise SWOT

Unidade IV – Prática: Elaboração de Plano de Marketing Cultural

Etapa 5 – Objetivos, metas e estratégias

Etapa 6 – Planos de Ação

Etapa 7 – Instrumentos de apoio: orçamento, cronogramas, avaliação e controle

Investmento :

Valor: R$ 400,00

Parcelado em até 2x no cartão

*Obs.:  Valor com desconto para inscrição até o dia 15/10 – R$ 290,00

Inscrições pelo email: pecs@candidomendes.edu.br ou no telefone (21) 3543-6489

1º Encontro Regional de Museus da Capital SP


Gostaríamos de convidá-lo para o “1º Encontro Regional de Museus da Capital de São Paulo”. que será realizado em 22 de outubro, das 10h às 16h, no Auditório da Secretaria da Cultura do Estado de SP, à r. Mauá, 51 – Luz – São Paulo – SP.

Este encontro por objetivo articular instituições museais e correlatas, profissionais, estudantes e entusiastas, para construção de uma rede de fortalecimento regional do setor, incentivando experiências e práticas colaborativas que possam apoiar a efetivação do Cadastro Estadual de Museus – CEM.

Confirme sua presença no formulário disponível neste link.( http://bit.ly/1ERMCapital ) Assim você estará nos ajudando a programar melhor nosso primeiro encontro e é através deste formulário que iremos atualizar a nossa base de dados.

Contamos com a sua presença. Sua participação é muito importante!

PROGRAMAÇÃO:

09h30 – CREDENCIAMENTO
10h – Abertura – David Kaseker (SISEM-SP)
10h15 – Palestra – A importância do CEM e como os RR poderão colaborar Renata Motta (ICOM Brasil)
11h – Apresentação do Plano de Trabalho da Representação Regional da Capital Debate entre os participantes

12h – ALMOÇO (por conta do participante)

13h – Temas importantes para a efetivação do Cadastro Estadual de Museus. Mediação Luiz Mizukami.
Plano Museológico – Beatriz Cavalcanti – MAC USP Política de Acervo – Juliana Monteiro
Acessibilidade em Museus – Claudio Rubino – Instituto Tomie Ohtake Infraestrutura e Segurança – Angélica Fabbri – Acam Portinari
14h30 – INTERVALO
14h45 – Formação de Grupos de Trabalho em 3 eixos: Política de Acervo
Acessibilidade
Infraestrutura e Segurança
16h – ENCERRAMENTO

Edital de Ocupação dos Teatros do Estado

INFORMAÇÕES GERAIS

Para a realização de espetáculos em temporada no Teatro João Caetano, responda ao Formulário de Solicitação de Pautas.

Espetáculos, em temporada ou não, nos demais teatros da rede estadual são selecionados através de edital, pelo Sistema de Inscrições de Pautas.


Maiores informações:

E-mail para contato: programacao.teatros@gmail.com

Novo endereço:

Rua da Quitanda, nº 86 – 8º andar – Centro – Rio de Janeiro – CEP: 20091-902

Tel.: 2216-8500

Primavera dos Museus começa nesta segunda-feira (17)

Começa nesta segunda-feira (17) a 12ª Primavera dos Museus. Com programações até o dia 23 de setembro, a temporada 2018 contará com a participação de 900 instituições, somando 2.787 eventos em todo o país. Com o tema “Celebrando a Educação em Museus”, o evento propõe uma reflexão sobre as principais funções do museu: educar e contribuir no despertar de interesse para diferentes áreas do conhecimento, a vida em sociedade, a importância das memórias e o valor do patrimônio cultural musealizado.
Durante a Primavera, será realizado o lançamento e a divulgação do Caderno da Política Nacional de Educação Museal (PNEM), no Museu Casa Histórica de Alcântara (MA), no Museu Vitor Meirelles (SC) e no Museu das Missões (RS).
No Rio de Janeiro, o Museu Histórico Nacional oferecerá, no dia 17/9, as oficinas “A aplicabilidade da Política Nacional de Educação Museal” e “Baú da História da Educação Museal para profissionais do campo, demonstrando a aplicabilidade dos princípios e diretrizes da PNEM”. Já o Museu da República realizará o seminário ‘A função educacional dos museus 60′. O objetivo é avaliar e discutir sobre o Seminário Regional da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), que ocorreu em 1958 no Rio de Janeiro, e quais serão os desafios nos próximos 60 anos para educação museal.
O Museu da Inconfidência (MG) sediará, de 18 a 21 de setembro, o 1º Seminário de Educação em Museus de Ouro Preto. O evento vai reunir diversos profissionais para debater questões e desafios sobre o tema. Haverá também apresentações das ações educativas dos museus de Ouro Preto e de Minas Gerais. O Museu Regional de São João Del Rei (MG) promove, entre 17 e 18 de setembro, o I Seminário de Educação Museal da Rede de Educadores de Museus Campos das Vertentes.
Instituto Brasileiro de Museus
Ministério da Cultura

CNIC aprova 97 projetos para captar recursos via Lei Rouanet

A Comissão Nacional de Incentivo à Cultura (CNIC) encerrou a deliberação sobre os projetos avaliados durante a 281ª reunião ordinária, realizada entre os dias 11 e 13 de setembro. Durante a reunião, a CNIC foi favorável a que proponentes de 97 propostas captem recursos pelo mecanismo de incentivo fiscal da Lei Rouanet (Lei 8.313/1991). Os projetos aprovados receberam autorização para captar até R$ 99,5 milhões com patrocinadores.
O maior número de projetos aprovados vem da área de artes cênicas, com 39 propostas. Seguem-se música, com 23, humanidades, 15, e patrimônio cultural, 10. O setor de audiovisual teve 5 propostas aprovadas, enquanto o de artes visuais obteve 4 aprovações e o de museus e memória contou com 1 projeto aprovado.
Qualquer cidadão pode acompanhar os projetos aprovados via Lei Rouanet, pelo Sistema de Apoio às Leis de Incentivo à Cultura (Salic). O usuário tem acesso aos dados básicos dos projetos, como, por exemplo, nome e CNPJ do proponente, data de início e término do projeto, valores aprovados para captação e montantes realmente captados de cada um deles.
A Comissão
A CNIC é um colegiado de assessoramento formado por representantes dos setores artísticos, culturais e empresariais, com paridade da sociedade civil e do poder público. Os membros da sociedade civil são provenientes das cinco regiões brasileiras, representando as áreas das artes cênicas, do audiovisual, da música, das artes visuais, do patrimônio cultural, de humanidades e do empresariado nacional.
Para entrar em vigor, as decisões da CNIC precisam ser homologadas pelo secretário de Fomento e Incentivo à Cultura do Ministério da Cultura (MinC). Os proponentes devem acompanhar seu projeto por meio do Salic, uma vez que as comunicações e solicitações complementares, caso necessárias, se dão exclusivamente por essa ferramenta.
Assessoria de Comunicação
Ministério da Cultura

Edital 2018 DESCENTRA – BH

Depois de dois anos sem edital, o EDITAL DESCENTRA 2018 está de volta e com inscrições abertas de 28 de agosto a 28 de setembro para projetos culturais.

Como ferramenta que integra a Política Municipal de Fomento à Cultura de Belo Horizonte, o Descentra surgiu em 2013, tendo como objetivos a democratização do acesso aos mecanismos municipais de fomento à cultura e a ampliação da participação de artistas, agentes, coletivos e grupo culturais de todas as regionais de Belo Horizonte. Por meio de duas edições realizadas, em 2014 e 2015, foram contemplados mais de 150 (cento e cinquenta) projetos culturais.

Em 2018, na constante busca por melhor destinação e desconcentração de recursos oriundos do Fundo Municipal de Cultura, a Secretaria Municipal de Cultura retoma o Edital com algumas novidades, entre elas, a simplificação do processo de inscrições, em atendimento às diretrizes do Conselho Municipal de Política Cultural (Comuc) e em observância ao Plano Bianual de Financiamento à Cultura 2018-2019.­­­­­­

RESUMO DAS INFORMAÇÕES:

PERÍODO DE INSCRIÇÕES:

28/Agosto (0h) a 28/Setembro (18h)

QUEM PODE SE INSCREVER?

Empreendedores Pessoas Físicas com atuação na área cultural

EM QUAIS SETORES?

Artes visuais; Audiovisual; Circo; Dança; Literatura; Música; Patrimônio material / Memória; Patrimônio imaterial / Identidade cultural; Teatro; Multisetorial

QUAL O MONTANTE TOTAL DE RECURSOS DO EDITAL?

R$ 1.000.000,00 (um milhão de reais)

QUAL O VALOR MÁXIMO PARA CADA PROJETO?

R$ 20.000,00 (vinte mil reais)

QUANTOS PROJETOS POSSO INSCREVER?

É permitido apenas 1 (um) projeto por Empreendedor

INSCRIÇÕES:

CLIQUE AQUI PARA ACESSAR O MAPA CULTURAL E INSCREVA SEU PROJETO

 

Em reunião com representantes da cultura, BNDES anuncia mais investimentos para o setor

 

Em reunião nesta quinta-feira (30), no Rio de Janeiro, organizada pelo ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão, representantes de instituições ligadas ao audiovisual, mercado editorial, teatro, desenvolvimento de jogos eletrônicos e artes plásticas receberam do presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Dyogo Oliveira, a garantia de que a extinção do Departamento de Economia da Cultura do Banco não trará prejuízo ao setor cultural. A decisão do banco, motivada pela necessidade de reestruturação, havia gerado dúvidas e insegurança no setor cultural.

Segundo Oliveira, em 2018, o investimento do BNDES por meio da Lei Rouanet deverá atingir R$ 97,3 milhões, um aumento expressivo em relação a 2017, quando o banco investiu cerca de R$ 36 milhões. O presidente assegurou também que a instituição irá retomar o Procult, programa de fomento para investimentos e planos de negócios de empresas pertencentes à cadeia produtiva da economia da cultura, tais como audiovisual, editorial, música, jogos eletrônicos, artes visuais e performáticas – uma das principais demandas do Ministério da Cultura à instituição.

“Essa nossa reestruturação não altera em nada a disposição do BNDES em continuar investindo em cultura e nem o volume de recursos a ser desembolsado, que, por sinal, pretendemos ampliar”, destacou Oliveira. “Chamamos vocês aqui hoje exatamente para tranquilizá-los e deixar claro que nosso comprometimento com o fomento à cultura continua o mesmo”, assegurou o presidente do banco.

Durante a reunião, o presidente do BNDES explicou aos presentes que, com a nova estrutura, o apoio ao restauro do patrimônio cultural ficará a cargo do recém-criado Departamento de Educação e Cultura, ligado à Diretoria de Governo e Infraestrutura, que tem foco prioritário em atender o setor público. Já os investimentos no setor audiovisual e em jogos eletrônicos serão de responsabilidade do Departamento de Economia Criativa, ligado à Diretoria de Estratégia e Transformação Digital, com foco no setor privado. Os editais de cinema serão coordenados pela área de comunicação e patrocínio e o apoio a livrarias e editoras, pela área de comércio e serviço. Os funcionários que atuavam no antigo Departamento de Economia da Cultura, segundo Oliveira, continuam atuando na área cultural em seus novos setores.

Para o ministro da Cultura, ao renovar o Procult e ampliar o patrocínio em cultura o BNDES reafirma seu compromisso com o desenvolvimento da economia criativa brasileira, um setor fundamental para o desenvolvimento do País, que gera emprego, renda e que já responde por 2,6% do PIB nacional.

Assessoria de Comunicação
Ministério da Cultura

Pesquisa J.Leiva Cultura nas Capitais

Como 33 milhões de brasileiros consomem diversão e arte

Ao investigar os hábitos culturais em 12 capitais, a pesquisa realizada pela JLeiva oferece uma ampla visão da nossa identidade cultural e colabora com subsídios para o desenvolvimento de projetos e políticas públicas melhorar a qualidade de vida da população no Brasil.

Você pode solicitar o PDF da pesquisa no link a seguir: https://www.jleiva.co/cultura-nas-capitais

Ibram oferece bolsas para iniciação científica em sua área de atuação

O Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) abriu edital para seleção de bolsistas  do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (PIBIC). Lançada numa parceria com o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), a oportunidade se destina ao financiamento de projetos de pesquisa no campo de atuação do órgão.

Serão oferecidas dez bolsas de iniciação científica no valor de R$ 400,00 mensais pelo período de 12 (doze) meses, sendo prorrogável por igual período. Podem se candidatar alunos regularmente matriculados em cursos de graduação de instituições públicas ou privadas de ensino superior reconhecidas pelo MEC que não estejam recebendo qualquer outra modalidade de bolsa.

Poderão atuar como orientadores servidores ativos do quadro técnico do Ibram que não estejam em período de licença e possuam título de doutor, além de experiência compatível com a função de orientador e formador de recursos humanos qualificados. Também será requisito a produção científica, tecnológica ou artístico-cultural comprovada nos últimos três anos.

O mérito científico dos projetos apresentados será avaliado pelo Comitê Externo da Coordenação PIBIC/CNPq/MinC/Ibram. Um dos objetivos da iniciativa é proporcionar aos bolsistas a aprendizagem de técnicas e métodos científicos relacionados ao campo dos museus, contribuindo para o desenvolvimento de sua criatividade teórica e cultural.

Os candidatos a orientador do programa deverão enviar os projetos de pesquisa para a Coordenação do PIBIC/CNPq-Ibram até o dia 15 de agosto, exclusivamente pelo e-mail mhn.pesquisa@museus.gov.br. Para mais detalhes, leia o edital.