MinC faz parceria com Smithsonian para que Brasil seja homenageado no Folklife Festival, nos EUA

O ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão, desembarcou em Washington D. C., Estados Unidos, nesta terça-feira (26), para uma série de compromissos, entre os quais a assinatura de uma carta de intenções com a instituição educacional e de pesquisa norte-americana Smithsonian Institution (Instituto Smithsoniano) para que o Brasil seja o país homenageado na edição de 2020 de um dos maiores festivais do mundo de cultura popular, o Folklife Festival. O instituto é associado a um complexo de museus e administrado pelo governo norte-americano. Até quinta-feira (28), o ministro participa de um seminário na Universidade George Washington sobre economia da cultura, vai à abertura do Festival Folclórico do Museus Nacional de História e Cultura Afro-Americana e visita a biblioteca da Universidade Católica da América.
Sá Leitão se reúne com organizadores do Folklife Festival (Festival Folclórico Smithsoniano) na manhã de quinta-feira (28). O evento abre possibilidade de exposição e promoção das mais diversas expressões culturais dos países que participam, contemplando áreas como artesanato, dança, gastronomia, música e turismo patrimonial. A assinatura da carta é um primeiro passo para formalizar a parceria brasileira com a instituição norte-americana.
Logo depois da assinatura, o ministro participa da abertura da edição 2018 do festival. Criado em 1967, o Folklife Festival tem duração de 10 dias e é realizado anualmente em Washington, reunindo cerca de um milhão de pessoas a cada edição. Seu propósito é mostrar e celebrar a cultura popular, as tradições culturais vivas e o patrimônio imaterial. Trata-se de uma plataforma de grande visibilidade internacional de compartilhamento de heranças culturais dos países participantes. Neste ano, os destaques são Armênia e Catalunha.
Segundo o ministro Sérgio Sá Leitão, o MinC vai levar ao festival os pontos de cultura e os mestres e projetos vencedores nas diversas edições do Prêmio Culturas Populares, entre outras atrações. “Teremos congada, samba de roda, maracatu, capoeira e outros”, exemplificou o ministro.
Internacionalização
Na terça (26), o ministro visitou a Biblioteca Oliveira Lima, localizada dentro da Universidade Católica da América. O espaço foi criado a partir do acervo pessoal do diplomata, jornalista e historiador brasileiro Manoel de Oliveira Lima (1867-1928). Considerado uma referência em pesquisa sobre história e cultura brasileira e de Portugal, abriga, atualmente, mais de 60 mil obras impressas e mais de 700 manuscritos. A ideia da visita foi identificar possibilidades de tornar a instituição um centro de pesquisas para assuntos ligados à América do Sul.
Durante a visita, Sá Leitão destacou que a Lei Rouanet vale para ações no exterior e se comprometeu em colocar em contato a Biblioteca Oliveira Lima com a Fundação Casa de Rui Barbosa, instituição vinculada ao MinC.
Nesta quarta-feira (27), o ministro participa da programação do IX Living Expressions, seminário realizado na Universidade George Washington, organizado pela Associação Raízes da Tradição. O ministro fará parte da cerimônia de abertura e apresentará palestra sobre oportunidades de negócios entre Brasil e Estados Unidos, economia da cultura e patrimônio cultural brasileiro. No fim do dia, participa de reuniões bilaterais com representantes do Ministério da Cultura de Benin e da abertura do Festival Folclórico do Museus Nacional de História e Cultura Afro-Americana.
Assessoria de Comunicação
Ministério da Cultura
0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *