Vamos juntos reabrir o Museu do Pontal!

Essa campanha quer mobilizar todos os apaixonados pela arte e cultura popular do Brasil, para juntos reabrirmos o Museu do Pontal e mostrar que nós brasileiros nos importamos com nosso patrimônio.

O Museu Casa do Pontal foi atingido por uma inundação sem precedentes. O maior acervo de arte popular do Brasil está ameaçado. Os prejuízos causados foram imensos. A perda de grande parte das estruturas de guarda do acervo, somada à grave crise financeira dos últimos anos, nos colocou numa situação ainda mais crítica.

Agora, o primeiro passo é refazer as estruturas mobiliárias para deixar o acervo em segurança e reabrir o Museu. Vamos juntos?

#salveomuseudopontal

 

A inundação

No dia 9 de abril, a chuva mais intensa a atingir o Rio nos últimos 22 anos alagou completamente o Museu do Pontal. Após quase 24 horas de chuva, um grande volume de água barrenta tomou os corredores do Museu. A água invadiu as galerias expositivas, a reserva técnica, o espaço educativo e as salas administrativas. O nível da água nos jardins do Museu chegou na altura da cintura (1 metro). Na galeria da exposição permanente, chegou na altura do joelho (60 cm). Funcionários e ex-funcionários agiram rápido e conseguiram retirar 300 obras que estavam prestes a serem atingidas pela água.

Passadas duas semanas, o Museu do Pontal ainda se encontra fechado. Nesse período, as equipes do Museu limparam e fizeram o necessário para garantir a segurança do acervo. Também foi feito o levantamento dos danos. Os prejuízos causados pela inundação foram enormes. Grande parte da estrutura de madeira da exposição e da reserva técnica foi danificada.

O que fazer agora?

Precisamos reparar os danos causados pela chuva para manter o acervo em segurança e reabrir o Museu do Pontal para o público. Esta é a maneira mais eficiente de manter o acervo a salvo. Com seu apoio, será possível reformar as principais estruturas danificadas, assim como desinfetar e pintar a área afetada. A altura mínima das vitrines será de 80 cm acima do solo para diminuir o impacto em potenciais futuras inundações.

Com esses recursos será possível reabrir o Museu, permitindo que o público tenha acesso a cerca de 1 mil obras. Será possível recuperar parte da exposição permanente reformando quatro áreas temáticas: “Profissões”, “Vida Rural”, “Ciclo da Vida” e “Festas”.

Acreditamos que a melhor forma de reabrir o Museu é pela força do coletivo. Precisamos de milhares de apoiadores como você! Colabore, compartilhe o projeto com seus amigos e junte-se a nós neste esforço.

 

O que é o Museu do Pontal?

O Museu Casa do Pontal, localizado no bairro do Recreio, no Rio de Janeiro, é o maior museu de arte popular do Brasil, responsável pela preservação e dinamização de um acervo de 10 mil esculturas. São 4 mil obras em exposição permanente e 6 mil em reserva técnica. A coleção já foi vista por mais de 3 milhões de visitantes, nas extensas galerias expositivas da sede e nas mais de 60 exposições realizadas no Brasil e no mundo nos últimos anos. Em 2018, tivemos nosso recorde de público anual: o acervo foi visto por mais de 190 mil pessoas.

A coleção, tombada pela Prefeitura como referência cultural da cidade, é composta por peças de cerca de 300 artistas brasileiros, produzidas a partir do século 20. A excelência da atuação do Museu é reconhecida por diversas premiações, como o Prêmio Rodrigo Melo Franco (IPHAN, 1996) e a Ordem do Mérito Cultural (Governo Federal, 2005). O Museu do Pontal possui a maior coleção de obras do Mestre Vitalino no Brasil, guardando a memória da arte popular brasileira para as gerações futuras.

Segundo membros do Conselho Internacional de Museus (ICOM), associado à Unesco, “O Museu Casa do Pontal não é apenas um museu completo de Arte Popular Brasileira, pode ser considerado como um verdadeiro museu antropológico, único no país a permitir uma visão abrangente da vida e da cultura do homem brasileiro”.

As obras narram a história brasileira do ponto de vista das camadas populares, valorizandopersonagens fundamentais da vida do país. No acervo do Pontal encontra-se a narrativa viva dos costumes simples, dos hábitos, das práticas do dia-a-dia, contados a partir dos testemunhos e depoimentos dos artistas populares das periferias das grandes cidades e das vilas, sítios e cidadezinhas do vasto interior do Brasil.

Ao longo de mais de 40 anos de atividades, o Museu Casa do Pontal se empenhou em proteger e difundir seu acervo. O Programa Educacional e Social, criado há mais de 20 anos, já atendeu cerca de 500 mil participantes. O Museu entende a educação como uma de suas principais finalidades. As visitas teatralizadas escolares, seminários e materiais educativos procuram estimular que estudantes, educadores e o público em geral compreendam a complexidade e a riqueza estética da arte popular, afastando e rompendo estereótipos que determinam historicamente este campo.

 

Recompensas

Você pode colaborar recebendo recompensas que vão desde R$ 20 (nome de agradecimento no painel de créditos do Museu) até R$ 5 mil (possibilidade de realizar evento exclusivo no Museu como aniversário, casamento ou outro evento próprio para seus convidados) ou R$ 10 mil (com uma obra especialmente selecionada).

Uma recompensa especial será uma típica festa junina, voltada exclusivamente para a comunidade que apoiar a abertura do Museu e vai acontecer no sábado, 3 dias antes da abertura oficial. Essa recompensa estará em muitos pacotes. Podem preparar as roupas típicas e ensaiar o arrasta-pé, o Arraial do Museu do Pontal reunirá comidas típicas e bebidas deliciosas, brincadeiras, jogos e muita animação. Ninguém vai ficar parado porque vai rolar trio de forró de primeira para todo mundo dançar até gastar a sola do sapato. E, como não poderia deixar de ser, vai ter casamento na roça, com as bênçãos do padre do Museu, seguido de uma grande quadrilha para celebrar os noivos.

Outra recompensa são as nossas publicações. Ao longo de 20 anos produzimos livros de pesquisas, catálogos de exposições e outras edições relacionadas ao campo da arte e da cultura popular. Muitos desses catálogos são hoje raridades, pois fizemos em pequena quantidade e eles rapidamente se esgotaram. Tínhamos uma pequena reserva guardada no próprio Museu, para ocasiões especiais. Acreditamos que essa seja uma ocasião especial e que os catálogos ajudarão a reabrir o Museu do Pontal. Abaixo relacionamos os catálogos disponíveis.

As visitas musicadas estão nos pacotes acima de R$ 400. Nessas visitas é apresentado o rico acervo do Museu do Pontal, passeando pelo repertório da música popular brasileira.

Também teremos camisas e sacolas especialmente produzidas para a campanha, que estarão em várias recompensas.

Na recompensa de R$ 1 mil você poderá trazer um grupo de até 10 amigos para uma visita especial ao acervo, acompanhado pela curadora, com muitas estórias e comentários sobre artistas, obras e curiosidades sobre as aquisições.

Colaborando com R$ 10 mil, você que é colecionador, ou ama a arte popular, poderá apoiar a causa do Museu e terá como recompensa uma obra especialmente selecionada pela curadora do Museu do Pontal.

 

Orçamento

Taxas bancárias e suporte da Benfeitoria – 6%

Produção das recompensas – 25%

Campanha de comunicação – 5%

Reforma das estruturas danificadas – 64%

 

O problema das inundações e a busca de soluções

A inundação de abril de 2019 foi resultado da urbanização, autorizada pela Prefeitura do Rio de Janeiro, no entorno da sede do Museu Casa do Pontal, no bairro do Recreio dos Bandeirantes. Com as obras, o terreno onde o Museu está localizado ficou abaixo da cota das novas ruas. Um estudo da COPPE/UFRJ realizado em 2014 recomendou a mudança da sede do Museu com a construção de uma nova edificação em outro terreno.

A Prefeitura reconheceu em 2016 sua responsabilidade e cedeu um terreno na Barra da Tijuca, além de garantir recursos para a construção de uma nova sede. As obras começaram em junho de 2016 e estavam previstas para terminar em julho de 2017.  No entanto, quando faltavam apenas 5 meses para sua conclusão, as obras foram paralisadas, por falta de pagamento. Há dois anos a Prefeitura afirma que retomará a obra e, no entanto, desde então nada aconteceu.

O Museu foi mantido por 20 anos pelo artista e colecionador Jacques Van de Beque, seu criador. A partir de 1996, com seu adoecimento, estabeleceu uma rede de patrocinadores e parceiros que têm viabilizado a manutenção de suas atividades permanentes e a realização de projetos de extensão. No entanto, desde 2016, a crise financeira que afetou o Brasil, e teve impactos significativos na cultura, reduziu significativamente os patrocinadores do Museu.

Nesse contexto, e enquanto a nova sede não é concluída, o financiamento coletivo será fundamental para manter o acervo em segurança na atual sede.

https://benfeitoria.com/salveomuseudopontal?ref=benfeitoria-pesquisa-projetos

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *